• Sem categoria

Empresários e famílias fazem caminhada em apoio a paralisação dos caminhoneiros em Rio Paranaíba

Escrito porem 17 de abril de 2016

A população de Rio Paranaíba realizou na manhã do último domingo (27), uma caminhada pacífica na ciclovia que dá acesso à Universidade Federal de Viçosa, em apoio aos caminhoneiros que estão parados na estrada desde a última quarta-feira (23), contra a alta do preço do diesel.

O objetivo da caminhada, segundo os organizadores, foi de prestar o apoio aos profissionais do volante, foi de conscientizar a população de que precisa unir forças para tentar mudar o País. Nossa reportagem esteve presente e conversou com algumas pessoas sobre a decisão de fazer o ato em apoio à paralisação.

Primeiramente conversamos com o presidente de ACIARP, Heuler Charly que falou sobre a paralisação e sobre o apoio que a população de Rio Paranaíba iria levar aos caminhoneiros às margens da rodovia. “O Brasil está vivendo os últimos um caos que o governo com essa carga tributária altíssima. A classe empresária sofre com isso porque a grande parte de seus lucros vão para pagar impostos para o governo e com isso, surgiu esse movimento na última semana dos caminhoneiros, onde a população inteira do Brasil está apoiando eles nos últimos dias diante das atitudes que o governo vem tomando com esse movimento legítimo, que veio para mostrar a cara do brasileiro e mostrar para esse governo que precisa de mudanças rápida”, ressaltou.

Já o empresário André Alves, buscou destacar durante a entrevista que a paralisação está prejudicando não só o comércio mas todas as pessoas, já que elas dependem do trabalhos dos caminhoneiros. “Essa paralisação está prejudicando não só o comércio mas todas as pessoas. Uma vez que nós dependemos do trabalho dos caminhoneiros, do transporte e então, Rio Paranaíba também está sofrendo com o reflexo dessa paralisação. Mas também eu vejo que temos que apoiar os caminhoneiros, essa iniciativa, porque o Brasil realmente acordar. Se você vê a carga tributária que nós pagamos é a maior do mundo e analisando dessa forma o povo realmente não está aguentando”, destacou.

A rodovia teve que interditada temporariamente para que os manifestantes pudessem fazer o ato em apoio aos caminhoneiros. O responsável pela paralisação em Rio Paranaíba disse em entrevista que a luta deles já não é só pela redução no preço do diesel, mas sim, por uma possível intervenção militar. Ele afirma ainda que se a paralisação seguirá sem previsão de término.

Texto e fotos: Gilberto Martins


Opiniões dos leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.



Faixa atual

Título

Artista